Páginas

Livros & Reticências: {Resenha} O Eco do Machado - Fábio Mota

{Resenha} O Eco do Machado - Fábio Mota


















Hey!

Tudo Certinho? Comigo sim, graças a Deus. Então, resenha hoje de um livro bastante misterioso e convidativo.

Sinopse:
Em Brasília, um assassino acaba de extirpar os testículos de mais um padre, fazendo sua terceira vítima. Para chegar até o assassino, o experiente delegado da Polícia Federal, Diego Padavona, espera poder contar com a ajuda do professor doutor Kérson Kunt, especialista em História Medieval, e tio do primeiro suspeito.
Para isso, Padavona viaja até a cidade do Rio de Janeiro para se encontrar com o excêntrico Dr. Kérson, com quem o sobrinho Rangel passou a morar depois que uma tragédia acometera a família Kunt, seis anos atrás.
As palavras do Dr. Kunt, no entanto, não parecem dignas de confiança. Suas dicas sobre a personalidade do sobrinho são enigmáticas e só fazem aumentar o suspense; segui-las, pode não ser o melhor caminho a tomar.
Mais uma vez Diego Padavona se vê diante de um assassino em série, mas desta vez restam poucas informações ao delegado, que terá de desvendar o mistério e encontrar o assassino o mais rápido possível, antes que mais um padre apareça morto.
Encontre o livro: 
  • Livraria Amazon (ebook): Aqui
  • Livraria Saraiva: Aqui
  • Livraria Cia dos Livros: Aqui
  • Livraria Singular: Aqui

Fábio Mota nasceu no Maranhão. Iniciou o curso de matemática na UFSC, em 2005, mas largou quatro períodos depois. Influenciado por Fernando Pessoa, Augusto dos Anjos, Isaque Pinto, MOTA começou escrevendo poesias. Depois Oscar Wilde, Franz Kafka e Robert L. Stevenson o fizeram querer escrever histórias mais longas. Seu primeiro livro publicado foi intitulado "Ao Encontro de Nietzsche", uma narrativa de ficção, baseada na vida e na obra do filósofo alemão Friedrich Nietzsche. O Eco do Machado é sua segunda obra.

          O eco do machado é um livro com 214 paginas tendo sua primeira edição publicado em Outubro de 2014 pela Editora Dracaena. É classificado como Romance Policial com toques de Mistério e Suspense. Conta uma das aventuras do experiente Delegado de Policia Federal Diego Pavadona.





















O livro traz uma trama onde padres com mesmo perfil, pedófilos, que de uma forma ou de outra saíram impune da justiça são misteriosamente sequestrados e assassinados tendo seus testículos extirpados e selados nas costas com uma marca: INRI. A policia e principalmente o delegado Diego Pavadona mergulham na investigação que tem como principal suspeito Rangel, um garoto traumatizado que foi estuprado por padres enquanto criança e teve sua família assassinada pelo seu próprio pai. Com essas mortes na família, ele teve que ir morar com o tio Kérson Kurt, um historiador muito estranho, mas que deu a maior força ao sobrinho. O ser muito esperto que o Delegado é corre pra casa do Kérson colher informações sobre o Rangel, que já foi embora da casa do tio. Pavadona teme pela vida do quarto padre que está nas mãos do assassino e teme também pela sua reputação, pois a mídia já está como urubu voando sobre a carne podre. A vida do delegado Pavadona se torna um verdadeiro novelo de lã nas patas de um gato, pois além de atribulações vinda do trabalho, o seu coração está mais atribulado do que nunca por conta de sua namorada Julia, uma mulher que infelizmente sofre pela mal da Esquizofrenia.



Então, é um livro super indicado para todos, desde o inicio fica claramente explicito pra o leitor quem é o assassino, mas acompanhar o delegado Pavadona nesta busca incansável se torna eletrizante a cada página lida. A partir de um momento do livro podemos conhecer o lado psicológico da vida do delegado Pavadona, é percebível o seu amor pela sua namorada Julia, apoiando ela na sua caminhada árdua suportando a cada instante as loucuras da mulher, que é assolada pela esquizofrenia.

"Foi a primeira vez que ela tentou o suicídio, como se a morte fosse a única ou a melhor saída possível"        ~ Página 39, O eco do machado

Um livro bem escrito, com uma linguagem leve e carismática, parece que estamos flutuando nas palavras, caprichou na construção dos personagens, tanto fisicamente com emocionalmente. O autor Fábio Mota tem uma boa pinta para escrever romances, saber lidar de forma desesperadamente leve com o  psicológico. Super recomendo este livro.

A edição deste livro também é espetacular. Orelhas cor de vinho, folha de rosto com ilustração igual a da capa só que em preto e branco, folhas amareladas e letras adequadas para leitura.
Queria agradecer a Fábio Mota por confiar a mim a parceria, e parabenizá-lo pelo dom da escrita, parabenizar a editora Dracaena pelo belíssimo trabalho. Estão todos de parabéns.
Está rolando um sorteio no blog e um exemplar de O Eco do machado está sendo sorteado. Aproveitem ! <3 Sorteio Aqui



Espero que tenham curtido a resenha e o livro, obrigado pela atenção. 
Beijoos e Abraços Literários ^^
Isaac Zedecc



9 comentários:

  1. Olá, tudo bem?
    Além de ser policial, pela resenha confirmei o que disse no começo, tem um pouco de suspense e terror, acredito que seja um livro legal.

    BIO-LIVROS

    ResponderExcluir
  2. Adoro mistérios e suspense, então fiquei curiosa para saber mais sobre o livro.
    Amei a resenha :) Abraços.
    http://www.acampamentodosleitores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá Isaac, tudo bom?
    Eu já conhecia e fiquei encantado pela capa, a premissa é bem interessante e adoro livros desse gênero de suspense =) Ótima resenha!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. LIVRO DE MISTÉRIO MUITO BOM, LOUCA P/ LER.

    ResponderExcluir
  5. Tem tudo pra ser um sucesso, grande abraço!

    ResponderExcluir
  6. Hey Isaac, tudo bem?
    Primeiro acesso aqui, parabéns pelo blog ^^
    Achei interessante a resenha, primeira vez que ouço falar sobre o livro

    Abraços,
    http://www.revolucaonerd.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá, li esse livro recentemente e o resenhei no blog.A história é muito boa, mas algumas coisas me incomodaram na escrita do livro,como citei na minha resenha.

    Acho que se ele reescrevesse o livro,daria um livro com mais história,mais páginas e com um enredo mais sólido.

    Gostei da sua resenha, que bom que gostou tanto do livro.

    bjs

    ResponderExcluir
  8. Meu lindo Isaac, não gosto do gênero, mas sou uma leitora sem preconceitos, você sabe disso. Sua resenha foi ótima, nos instiga. Parabéns! Continue assim, leia sempre, sem preconceito... "Mário Vargas Llosa" o mestre nos diz: para ser um bom escritor, temos que ser leitor sem preconceito! Um dia vou ler e será pela sua resenha. ;)

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário! :)

Deixe seu link, quero ver o seu blog!
Abraços *-*