Páginas

Livros & Reticências

|Resenha| Mestiços • A Comunidade dos Lobos Solidários • Alma Cervantes

Resenha Mestiços A Comunidade dos lobos solidários Alma Cervantes
Foto por: @bemcomaleitura

Olá, tudo beleza por ai?

Hoje, teremos a resenha de Mestiços, segunda obra publicada pelo autor Alma Cervantes. Já tive o prazer de ler seu primeiro livro, Se Arrependimento Matasse que se trata de um thriller psicológico, porém desta vez Alma Cervantes decidiu arriscar na fantasia sobrenatural, e acertou em cheio.

Existe uma nova espécie de seres por ai. Eles são rápidos e ágeis, com olfato aguçado e bons reflexos, não sabem o que são, mas por conta das características comuns se autodenominam lobisomens. A maioria desses seres vivem nas ruas, e desenvolveram um instinto solitário de sobrevivência. Existem lugares chamados de Ponto de Encontro onde esses seres costumam se reunir, mas eles não tem contato próximo, apenas vão ali pra saber que existem mais pessoas como eles.

Ariel é um lobisomem e na sua primeira ida ao Ponto de Encontro acaba sendo surpreendido por um ataque brutal de uma espécie desconhecida. Vários homens encapuzados e fortemente armados invadem o local dizimam as pessoas ali presentes. Ariel consegue fugir, e mais a frente conhece dois outros sobreviventes: Reis, um senhor que se considerava porteiro do local, e Nora, a garota misteriosa que chamou a atenção do garoto desde o princípio.

A partir deste momento, eles se dão conta que aquele ataque não foi ocasional, e estão sendo caçados. Com isso, precisam estar juntos para que possam se defender. Os personagens vão começar a descobrir particularidades da sua espécie, e claro desenvolver um afeto entre eles. 

Resenha: Mestiços - A Comunidade dos Lobos Solidários Alma Cervantes
Foto por: @bemcomaleitura
Durante a fuga, os lobisomens conhecem Ekaterina, uma garota misteriosa e sexy, que apesar de enigmática, quer ajuda-los. A garota pertence a classe dos Felinos, naturalmente inimiga dos lobisomens, mas por um motivo desconhecido, ela resolve ajudar o grupo, e eles confiam nela. Ekaterina apresenta para eles uma comunidade para lobisomens que existe em São Paulo, que pode abriga-los e explicar tudo que está acontecendo. 

Apesar de grandes percalços durante a viagem, eles conseguem chegar em São Paulo, e são muito bem recebidos na Comunidade dos Lobos Solidários, onde descobrem o que realmente são e os seus modos de sobrevivência. Apesar de ser um local muito aconchegando e cheio de mordomias, o grupo não consegue se sentir bem, e aos poucos vão conhecendo as verdadeiras motivações daqueles que estão ali, e suas missões de vida.
"Este é o lar dos lobos; nosso castelo e comunidade. Este é o nosso espaço conquistado pelo esforço incansável de nossos ancestrais, e cabe somente a nós a obrigação de manter o nosso forte de pé."
Nunca fui fã de leituras com seres sobrenaturais, na verdade nunca tive tantas experiências com esse gênero, mas neste daqui, graças á Deus, não teve nenhum lobisomem rasgando a roupa. Mestiços é uma fantasia sobrenatural que não perde o foco em momento algum. 

Conhecer Ariel, Nora e Reis foi muito interessante, e mais ainda foi sentir a aproximação deles durante a trama, onde cada um descobria características boas e cultiváveis no outro. Dos três, somente Ariel teve algum contato com família, os outros dois sempre foram solitários e moradores de rua, e é isso que traz alegria na descoberta de atitudes louváveis em cada um deles. 

Assim como em Se Arrependimento Matasse, Alma Cervantes nos surpreende com uma trama cheia de ação, e lutas avassaladoras, explorando o máximo de cada um dos seus personagens. E por falar nisso, todos são muito bem descritos e conseguimos nos apegar a cada um deles. 

Mestiços é narrado em terceira pessoa, com pontos muito bem amarrados e um final solto para dar aval ao segundo livro da série, que eu estou ansiando muito! A edição, apesar de ser independente, está impecável, sem erros de revisão, fonte e diagramação adequadas, com essa capa maravilhosa feita pelo Marcelo Rocha com ilustração de Daniel Bogni.

Para uma primeira experiência com fantasia sobrenatural, foi bem conquistadora.

Recomendo á leitura aos amantes de fantasia sobrenatural que queiram sair um pouco da caixinha, e aos outros que gostam de uma trama eletrizante e bastante movimentada, cheia de ação e plot-twists.

Título: Mestiços - A Comunidade dos Lobos Solidários
Autor: Alma Cervantes
Páginas: 338
Editora: Independente
Comprar: Amazon (ebook) Autor (Físico)
Sinopse: Ariel sempre soube que era diferente, mas nunca havia pensado sobre sua natureza até esse dia. Guiado por um completo desconhecido, acaba em um armazém em parte isolada da cidade, onde conhece um garoto de personalidade perigosa chamado Miro.
Antes que se desse conta, um ataque repentino executado por dezenas de homens encapuzados obriga todos no lugar a correrem por suas vidas. Unido aos outros que encontra durante a fuga do armazém, Ariel sai em uma viagem com destino incerto que o levaria a compreender todos os mistérios em sua vida.
Era realmente possível que eles fossem lobisomens? E quem eram os homens mascarados que atacaram subitamente o armazém repleto de pessoas sem-teto?
À frente naquela jornada, inúmeras revelações farão com que Ariel e seus novos companheiros precisem escolher o rumo que suas vidas tomarão.

Espero que tenham gostado!
Até mais! 



LA CASA DE PAPEL, UM ORIGINAL NETFLIX ARREBATADOR

LA CASA DE PAPEL, ORIGINAL NETFLIX

Olá, tudo beleza por ai?

Se eu lhe disser que sou fã de séries, e que estou sempre atualizando temporadas e buscando novas indicações estarei mentindo. Na verdade, sempre achei tudo isso uma grande perda de tempo, mas durante essas férias, descobrir uma vontade imensa de aventurar na Netflix, e depois de assistir The End Of The Fucking World (em breve), eu fiquei curioso com a capa de La Casa de Papel, e depois do trailer, só consegui largar quando acabou. 


Um homem misterioso chamado de O Professor recruta oito pessoas procuradas pela polícia, com diferentes características e habilidades, para executarem o maior roubo da história, um assalto a Casa da Moeda da Espanha. A série é narrada em primeira pessoa por uma das recrutas, Tóquio, uma moça que já tem experiência com pequenos roubos a bancos. Porém, este não é um roubo qualquer, e todos os passos estão pré-definidos e estudados a fim de não haver nenhum erro, além disso, os ladrões não devem estabelecer relações pessoais para que não haja nenhuma reação emotiva durante o assalto, por este motivo seus nomes não são revelados, e cada um é chamado pelo nome de alguma cidade do mundo.

LA CASA DE PAPEL, ORIGINAL NETFLIX
Berlim (sentado), Helsinque, Oslo, Nairóbi, Professor, Moscou, Denver, Rio e Tóquio, respectivamente. 
A Casa da Moeda da Espanha é invadida, e a equipe de assalto conta com 60 reféns desesperados e em alguns momentos, sádicos. Com o Professor do lado de fora, coordenando as ações e atrapalhando o trabalho da policia, os dias vão passando dentro da gaiola, e as expectativas só aumentam, já que eles não roubarão o dinheiro de ninguém, mas irão produzir as suas próprias cédulas, com números de série impossíveis de serem rastreados. Com o desejo de ter a opinião pública do lado deles, os ladrões são incapazes de assassinar, ou até menos amedrontar algum refém mais trabalhoso. 

LA CASA DE PAPEL, ORIGINAL NETFLIX

Essa produção espanhola conta com flashbacks do planejamento das ações, e o decorrer da execução das mesmas, e mostra também como todos os passos da policia já haviam sido cronometrados pela equipe de ladrões, e principalmente seu líder. 
Uma personagem em especial merece destaque. Raquel Murilo é a inspetora responsável pelo caso, e além de ser mal vista por ser a única mulher na investigação, ainda está movendo um processo de agressão contra o seu ex-marido, policial renomado dentro da corporação, por isso sofre represálias, e constantes acusações de inconsistência e falta de capacidade de conduzir o caso. 

LA CASA DE PAPEL, ORIGINAL NETFLIX
Policial, Agente da Inteligência, Raquel Murilo (inspetora) e Angél (assistente da inspetora), respectivamente, 
O ponto alto dessa série, e certamente a origem de todo o seu destaque, é a quantidade de plots twists existentes. Quando tudo parece que vai desmoronar, o plano do professor nos surpreende e os ladrões dão a volta por cima de forma louvável, deixando a policia pra trás mais uma vez. Algumas vezes, essas reviravoltas no enredo incomodam, já que são bem elaboradas, e difíceis de acreditar até mesmo para uma ficção. 

Por ser uma produção ampla, com 15 episódios originalmente, e 13 somente para a primeira temporada na Netflix, a série consegue mostrar com clareza os dois lados da moeda, e fazem com que o espectador torça para os dois lados, Já que de um lado temos pessoas com motivações fortes e do outro, uma inspetora injustiçada sofrendo de instabilidade emocional. É difícil, meus caros amigos! 

LA CASA DE PAPEL, ORIGINAL NETFLIX
Ladra Nairóbi

Minha personagem favorita, com toda certeza, é a Nairóbi. Além de linda, ela é uma mulher forte, que teve uma infância dura, e usou a falsificação como saída. Além disso, é mãe solteira e teve que ver seu filho passando de mão em mão nas rotinas de adoção, já que foi impedida de te-lo por conta de seus antecedentes criminais. Suas motivações são importantes, e ela faz de tudo para que o plano siga como o combinado, e eu estou torcendo muito pra ela escapar com todo o dinheiro possível. 


Com uma trilha sonora contagiante, e uma fotografia onde o vermelho está em destaque a todo o instante, La Casa de Papel veio para conquistar o Brasil e quebrar as regras, deixando as produções americanas no chinelo. 

¡Viva España! Viva!

A primeira temporada conta 13 episódios, com uma média de 50 minutos cada, e encerra enquanto o assalto ainda está em andamento, e a segunda temporada está confirmada na Netflix para o dia 6 de abril. 

Espero que tenham gostado, e não percam tempo, corre pra assistir que é show! 
Até mais! 



|Resenha| Entre as Estrelas - Katie Khan

Foto por: virandoamor.com
Olá, tudo beleza por ai?

Hoje, a resenha é de um livro recebido da editora Bertrand Brasil, do Grupo Editorial Record, que tem como principal tema, um romance futurista, ou a tentativa dele.  

Entre as Estrelas é uma distopia com um quê de romance futurista, escrita por Katie Khan. Publicado em 2017 pelo selo Bertrand Brasil do Grupo Editorial Record, conheceremos os protagonistas Carys e Max em 280 páginas.

O mundo foi devastado por uma guerra que nos afligi, e está prestes a ser iniciada no mundo real. Um grande embate entre as forças americanas, e o arsenal oriental. A grande atual potencial mundial foi completamente dizimada, e apenas a Europa conseguiu sobreviver a esse grande caos, agora chamada de Europia. 

A Europia agora tenta manter o mundo perfeito. As relações pessoais foram reduzidas, e as pessoas vivem em um processo chamado Rotação, onde não conseguem passar mais de três anos na mesma cidade, e também não tem contato constante com seus familiares. Para todos os cidadãos, essa é a melhor forma de vida. 

Carys e Max é um casal recém-formado, que estavam acostumados ao seu modo de viver. 

Carys sempre foi contrária a essa utopia, porém não podia fazer muito coisa, já que ser expulso da Europia significa viver em um deserto de miséria. Max tem laços de sangue com esse sistema, já que seus antepassados fizeram parte da fundação. Os dois trabalham na AEVE - Agência Espacial do Voivoda Europeu, Carys pilota aeronaves e Max é chefe de cozinha da estação espacial. Eles não demoram a se apaixonar, mas a Regra dos Casais não permite esse relacionamento, já que a idade ideal para construção de uma família é 35 anos, e o casal ainda é jovem. Mas, eles não vão desistir desse amor, e após confrontar o conselho de idealistas, são enviados em uma missão espacial na nave Laertes. 

Porém, tudo fica fora de controle quando um acidente acontece no espaço, e eles estão fora da nave Laertes, sem conexão e com apenas 90 minutos de ar. 

Foto por: virandoamor.com
Entre as Estrelas é um livro incrível, que me arrancou do bloqueio que eu estava. Apesar de estar com um pé atrás com os romances, esse me surpreendeu já que não tem nenhuma daquela melosidade comum, mas sim um casal forte que não desiste fácil do seu amor, além de contrair todas as forças contrárias, sendo elas sociedade, governo e família. A autora criou uma ambientação muito interessante, e trouxe características próprias de uma distopia, além de inovar com a inserção de uma fantasia meio cientifica na trama. 

Os flashbacks estão presentes a todo momento na obra, e aos poucos vamos descobrindo as motivações do casal, e o desenrolar das suas atividades no espaço. Além disso, a narrativa se dá em terceira pessoa, alternando entre os protagonistas, e isso foi muito importante para situar o leitor de tudo que estava acontecendo. Muito mais do que um mero entretenimento, esta história trás a possibilidade de reflexão quanto aos rumos que o nosso mundo está tomando, e como todos as guerras e disputas afetam toda a sociedade. 

Apesar de ter uma diagramação singela, a capa me conquistou e eu amei com todas as minhas forças. Além disso, a revisão está ótima, e não encontrei erros comprometedores. 

Espero que tenham gostado! 

Titulo: Entre as Estrelas
Autor: Katie Khan
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 280
Gênero: Distopia
Compre: AMAZON
Sinopse: Um romance futurista surpreendente sobre o impacto do primeiro amor e como nossas escolhas podem mudar o destino de todos ao nosso redor. Perfeito para os fãs Um Dia e Gravidade. Num futuro não muito distante, após a aniquilação dos Estados Unidos e do Oriente Médio, a Europa nada mais é que uma utopia na qual, a cada três anos, a população se muda para uma nova comunidade multicultural. Em um desses paraísos, Max conhece Carys, e é amor à primeira vista. Ele logo percebe que Carys é a pessoa com quem deseja passar o resto da vida - uma decisão impossível nesse novo mundo. Conforme o relacionamento dos dois se desenvolve, a conexão entre o tempo deles na Terra e o dilema atual no espaço vai sendo revelado. À deriva entre as estrelas, com apenas noventa minutos de oxigênio, eles concluem que só um deles tem a chance de sobreviver. Mas quem?

Até mais! 



Novos Livros da Coleção Itaú Criança - Peça já o seu! - #leiaparaumacriança


Olá, tudo beleza por ai?

Chegaram novos livros infantis da coleção anual do Banco Itaú, com a campanha Itaú Criança. Dessa vez, um diferencial está no dna da campanha: Rotatividade.

A campanha atual incentiva a doação ou troca dos livros, fazendo com que as histórias cheguem para mais crianças.


Para solicitar seus livros, clique AQUI e preencha o formulário com os dados de envio. Participe! 

A curadoria escolheu os seguintes livros: 



O Menino Azul - Cecília Meireles
Ter um bichinho é o sonho de quase toda criança. E não é diferente com o menino deste poema de Cecília Meireles. Ele quer um burrinho para ser seu amigo de todas as horas e que o acompanhe na descoberta do mundo.

Em cima Daquela Serra - Eucanaã Ferraz
Vamos juntos ver o que passa em cima daquela serra? Às vezes parece que lá só tem boi. Será? Neste livro, outros bichos e outras coisas andam em cima Daquela serra. Entre uma coisa e outra, passa boi, passa boiada... E, às vezes, não passa nada! É só o tempo.


Aproveite, e peça já para filhos, irmãos, netos, sobrinhos, alunos, vizinhos, conhecidos e tudo mais! 


#leiaparaumacriança #issomudaomundo




5 Livros com Temática Suicida e Depressão #SetembroAmarelo

5 Livros Suicídio e Depressão #SetembroAmarelo

Olá, tudo beleza por ai?

Suicídio: Ação de acabar com a própria vida, de se matar: ele cometeu suicídio. 
Ainda muito comum nos dias atuais, o ato de tirar a própria vida vem assolando famílias de jovens que enxergam na morte o refúgio para os seus problemas. A literatura com sua função social de provocar reflexão, vem desde muito tempo incluindo personagens suicidas nas suas obras, com o objetivo de mostrar efeitos e causas da prática. Além disso, a depressão é a maior das causas de suicídio do mundo, e estes personagens enfrentam esse tipo de situação na tentativa de conscientizar esses indivíduos. 

Não esqueça que você pode contar sempre com os voluntários do CVV - Centro de Valorização á Vida para desabafar e ouvir bons conselhos. Ligue 141. 

 _pode conter spoilers_

Cinco livros com: Temática Suicida e Depressão


Em 1774, foi publicado o livro Os Sofrimentos do Jovem Werther que tem na sua composição um personagem apaixonado, e com tendências suicidas. Este, porém, foi um livro que teve um efeito contrário, já que criou uma onda de suicídios na Europa.
Saiba mais: clique aqui
Sinopse: Os sofrimentos do jovem Werther foi publicado em 1774 e se tornou referência em toda a Europa, apesar de, na época, ter sido mal recebido pelos críticos. Goethe conseguiu exprimir, em sua narrativa dramática, toda a dor de um amor não correspondido, que despertou e comoveu as novas gerações.



Em Por Lugares Incríveis, da Jennifer Niven, vamos encontrar os protagonistas Violet e Finch que sofrem de depressão, e se encontram em uma das torres da escola, de onde iam se suicidar. 
Saiba mais: Clique aqui
Sinopse: Sinopse: Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, Violet se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente. Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família.
Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular. Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem finalmente pode ser ele mesmo, e a garota para de contar os dias e passa a vivê-los.

Confissões de um Adolescente Depressivo é uma biografia leve, escrita pelo stand-up comedy Kevin Breel que vem abordar sobre sua experiência com depressão e suicídio na adolescência/juventude.
Saiba mais: clique aqui
Sinopse: Aos 19 anos, Kevin Breel tornou-se um fenômeno mundial com sua TED Talk. O mundo nunca tinha visto um garoto dessa idade falar sobre um tema tão pesado quanto a depressão suicida e com tamanha leveza, inteligência e consciência. Ele conta como um adolescente saudável e supostamente feliz, passou a lutar diariamente contra a depressão e o desejo de se matar. Este livro é um guia para sobreviver à depressão ou entender melhor quem a enfrenta na adolescência, escrito por alguém que atravessou a escuridão e agora lança mão do seu estilo único para trazer luz e esperança à vida de milhões de jovens e adolescentes.


No thriller Em Águas Sombrias, vamos desvendar histórias de mulheres que decidiram encerrar suas vidas nas águas turvas do rio que corta a cidade. 
Saiba mais: clique aqui
Sinopse: Nos dias que antecederam sua morte, Nel ligou para a irmã. Jules não atendeu o telefone e simplesmente ignorou seu apelo por ajuda. Agora Nel está morta. Dizem que ela se suicidou. E Jules foi obrigada a voltar ao único lugar do qual achou que havia escapado para sempre para cuidar da filha adolescente que a irmã deixou para trás. Mas Jules está com medo. Com um medo visceral. De seu passado há muito enterrado, da velha Casa do Moinho, de saber que Nel jamais teria se jogado para a morte. E, acima de tudo, ela está com medo do rio, e do trecho que todos chamam de Poço dos Afogamentos… Com a mesma escrita frenética e a mesma noção precisa dos instintos humanos que cativaram milhões de leitores ao redor do mundo em seu explosivo livro de estreia, A garota no trem, Paula Hawkins nos presenteia com uma leitura vigorosa e que supera quaisquer expectativas, partindo das histórias que contamos sobre nosso passado e do poder que elas têm de destruir a vida que levamos no presente.

Em Suicidas de Raphael Montes, noves jovens se suicidam durante uma roleta-russa e seus mistérios são revelados um ano depois durante a investigação. 
Saiba mais: clique aqui
Sinopse: Antes que o mundo pudesse sonhar com o terrível jogo da baleia azul, que leva jovens a tirar a própria vida, ou que a série de televisão Thirteen Reasons Why fosse lançada e se tornasse o sucesso que é hoje, Raphael Montes, então com 22 anos, já tratava do tema do suicídio entre jovens, com a ousadia que virou sua marca registrada. Em seu primeiro livro, que a Companhia das Letras agora relança acrescido de um novo capítulo, conhecemos a história de Alê e seus colegas, jovens da elite carioca encontrados mortos no porão do sítio de um deles em condições misteriosas que indicam que os nove amigos participaram de um perigoso e fatídico jogo de roleta russa. Aos que ficaram, resta tentar descobrir o que teria levado aqueles adolescentes, aparentemente felizes e privilegiados, a tirar a própria vida.

Essas são alguns livros com este tipo de temática. Espero que tenham gostado da lista. Já leu algum? Me conta! 

Até Mais!