[Resenha][carousel][5]

domingo, 25 de junho de 2017

|Resenha| A Guerra que Salvou a Minha Vida - Kimberly Brubaker Bradley

18:06:00
resenha a guerra que salvou a minha vida de Kimberly Brubaker Bradley

Olá, tudo beleza por ai?

Recentemente, surgiu a oportunidade de fazer um projeto na faculdade sobre doação de livros. Porém, o projeto não tinha, necessariamente, que ser efetivado, mas um plano teria que ser feito. Nisso, vi que poderia espalhar o hábito de leitura na cidade de Salvador, porém o tempo ficou curto e o projeto acabou ficando apenas no papel (por enquanto). 

Mas, a Darkside Books já tinha topado me ajudar nessa empreitada e acabou me enviando os livros A Guerra que Salvou a Minha Vida, Só os Animais Salvam e Frankenstein
Apesar de o projeto não ter sido efetivado, ficou muito feliz em saber que a Darkside, mesmo com tanto custo editorial para produção de um livro de muita qualidade, não hesitou em compartilhar as caveirinhas com meu povinho baiano. 

Conversamos, e a moça do marketing permitiu que eu lesse e resenhasse para vocês! 

Muito Obrigado DARK <3 

resenha a guerra que salvou a minha vida de Kimberly Brubaker Bradley

Então, a discussão de hoje, será sobre o grande livro A Guerra que Salvou Minha Vida da autora americana Kimberly Brubaker Bradley.


Ada é uma garota inglesa que vive em um apartamento em Londres, junto com seu irmão Jaime e com sua mãe, que é sempre tratada como A Mãe. Ada nasceu com pé torto, e isso privou a garota de viver. 

Mas, calma, não foi a deficiência, e sim a Mãe... Por ter vergonha de que vissem que ela tinha uma filha com pé torto, a Mãe nunca deixou Ada sair do apartamento, e sempre que podia estava humilhando e maltratando a garota. 

Ada sempre foi destituída de tudo. Seu irmão Jamie, sempre pôde sair para rua e brincar com os amigos, mas Ada só tinha direito a uma cadeira embaixo da janela, para que ela olhasse a rua, e apenas imaginava como era a vida lá fora a partir das coisas que seu irmão lhe contava. A Mãe tinha um ódio visível pela filha, sempre a deixava com fome, privava de banhos, e sempre colocava a menina de castigo no armário úmido embaixo da pia. que era cheio de baratas, e Ada passava a noite lá. 
Jamie poderia ir á escola. Ada não. Um dia depois da escola, Jamie dá a noticia de que as crianças seriam evacuadas para viver com outras pessoas nos interiores, já que eram lugares seguros. Porém, a Mãe não está nenhum um pouco preocupada com a integridade dos filhos, e consola a filha dizendo que ninguém a acolheria com aquele pé horrível. 

resenha a guerra que salvou a minha vida de Kimberly Brubaker Bradley


Londres, 1939, inicio da Segunda Guerra Mundial. A capital da Inglaterra poderia ser bombardeada pela Alemanha á qualquer momento, por este motivo todas as crianças londrinas foram evacuadas para um interior chamado Kent. 
"A Mãe não estava brincando. Mas, por outro lado, eu também não."
Ada vê na evacuação uma oportunidade de mudar de vida, e decide com seu irmão, fugir para o trem que os levariam á nova vida. Eles conseguem e chegam á Kent. Lá, todas as crianças são dispostas em uma grande sala para que os moradores do vilarejo viessem e escolhessem o evacuado a quem dariam um lar temporário. Devido a desnutrição, mau cheiro e roupas desgrenhadas, Jamie e Ada ficam por último. 

A professora-chefe, praticamente obriga a jovem senhora Susan Smith a ficar com as crianças, e depois de muita relutância, a moça aceita acolhê-los. 

Apesar da rabugência inicial, a senhora Susan, trata as crianças de forma muito boa e cuida deles como se fossem filhos. Susan não é casada, e muito menos tem filhos, sua unica companhia, por muito tempo, foi sua melhor amiga que morreu. A senhora agora vive do dinheiro que a venda dos cavalos de Beckie lhe rendeu, e não sabe como cuidar de crianças. Mesmo assim, Susan dá as crianças, comida, roupas, banho, cama, carinho e esperança. 

resenha a guerra que salvou a minha vida de Kimberly Brubaker Bradley


Ada, traumatizada com os maus tratos da Mãe, anda sempre desconfiada e esperando a hora de que a máscara de Susan vai cair e ela vai lhe espancar e prender no armário. Ela vive com a certeza de que é um ser humano bizarro e que merece ser espancada, humilhada e escorraçada de todos os lugares que frequenta. Já Jamie, vive como uma criança comum, e vez ou outra sente saudades da Mãe. 

"Não reclamava de ficar tanto tempo dentro de casa, desde que o Jamie estivesse junto. Mas, á medida que ele foi crescendo, passou a querer brincar na rua, ficar com as outras crianças.
E porque não? - falava a Mãe - Ele é normal ."

Ada reconhece que não faz parte da família,e sabe que é um lar temporário. Por isso, a menina tenta viver sem dá nenhum trabalho á Susan, e isso seria bom, se não fizesse parte da síndrome do pânico pós traumático que a garota enfrenta. 

"Eu tinha tanta coisa boa (...) mas tudo isso era temporário. Só até a Mãe chegar para nos buscar. Eu não ousava me acostumar com nada."

Susan percebe a situação que Ada vive e passa a ajudar a garota a vencer o pânico com simples ações que vão mudando aos poucos a vida dela. A partir disso, o livro vai se tornando uma troca de amores,onde as crianças dão a Susan uma nova razão para viver e ela concede aos irmãos o amor e a esperança que a Mãe roubou deles. 

Além disso, Ada encontra o pônei Manteiga, que terá grande participação no processo de mudança da garota.

resenha a guerra que salvou a minha vida de Kimberly Brubaker Bradley


O livro A Guerra que Salvou Minha Vida é narrado em primeira pessoa pela protagonista Ada. Em suas 234 páginas, ele traz uma lição sobre amor, superação e companheirismo. A obra traz uma nova perspectiva sobre a Segunda Guerra Mundial, não para romantizar a grande guerra, mas para mostrar como momentos de dor podem unir pessoas de bem. 

A relação que as crianças constroem com Susan, apesar da quedas, é de um intenso amor e gratidão. Por muitas vezes, eu quis socar a cara da Ada pela rispidez dela, e demorei para entender que tudo fazia parte de uma construção desde a sua infância, que foi conduzida pela pior personagem na trama, A Mãe. 

resenha a guerra que salvou a minha vida de Kimberly Brubaker Bradley


A Mãe é um ser nojento e cruel, tive vontade de pisar no pescoço dela. E Ada, com certeza, ficaria igualzinha a ela, se não mudasse de vida, já que era o único referencial de ser humano que ela tinha.

Um livro que com certeza causa revolta, por todas as coisas que a protagonista sofreu por causa do seu pé torto, além disso, em uma das consultas que Susan leva a Ada, o médico informa que se o problema tivesse sido tratado na primeira infância seria facilmente resolvido, mas agora precisa de intervenção cirúrgica, graças a negligência da Mãe. 

Ao iniciar a leitura, fiquei imaginando que fosse uma leitura pesada e demorada, mas para minha surpresa, terminei na mesma noite. Que escrita fluída dessa mulher, adorei! 

O ambientação é muito característica da Segunda Guerra Mundial, e a todo momento ouvimos falar de aviões, soldados, navios, bombas, sirenes e Hitler... Coisas da Guerra. 

Realmente, foi um livro que me cativou, e com certeza, está na lista de melhores do ano. PISA MENOS, KIMBERLY <3 

resenha a guerra que salvou a minha vida de Kimberly Brubaker Bradley


A edição da Darkside está, como sempre, um luxo! A capa imita uma colcha de patchwork com retalhos e a diagramação está cheia de botões e linhas, coisas que tem muito a ver com a história. Na quarta capa, temos uma estampa de ramalhetes de lavanda, o cheiro preferido da Ada, e a outra folha (não sei o nome) está com o nome do livro escrito várias vezes com uma tipografia cheia de arabescos. Além disso, tem algumas fotos relacionadas com a guerra. 

resenha a guerra que salvou a minha vida de Kimberly Brubaker Bradley

O livro A Guerra que Salvou a Minha Vida tem uma história incrível com uma lição emocionante e uma edição impecável. 
Recomendo á todos que desejam gritar: GOOD BYE, HITLER junto com a Ada, Jamie e Susan, rindo, logo depois, com um abraço caloroso. 

resenha a guerra que salvou a minha vida de Kimberly Brubaker Bradley
Titulo: A Guerra que Salvou a Minha Vida
Autora: Kimberly Bradley
Editora: Darkside Books
Páginas: 234
Veja: Skoob
Sinopse: Ada tem dez anos (ao menos é o que ela acha). A menina nunca saiu de casa, para não envergonhar a mãe na frente dos outros. Da janela, vê o irmão brincar, correr, pular – coisas que qualquer criança sabe fazer. Qualquer criança que não tenha nascido com um “pé torto” como o seu. Trancada num apartamento, Ada cuida da casa e do irmão sozinha, além de ter que escapar dos maus-tratos diários que sofre da mãe. Ainda bem que há uma guerra se aproximando. Os possíveis bombardeios de Hitler são a oportunidade perfeita para Ada e o caçula Jamie deixarem Londres e partirem para o interior, em busca de uma vida melhor. Kimberly Brubaker Bradley consegue ir muito além do que se convencionou chamar “história de superação”. Seu livro é um registro emocional e historicamente preciso sobre a Segunda Guerra Mundial. E de como os grandes conflitos armados afetam a vida de milhões de inocentes, mesmo longe dos campos de batalha. No caso da pequena Ada, a guerra começou dentro de casa. Essa é uma das belas surpresas do livro: mostrar a guerra pelos olhos de uma menina, e não pelo ponto de vista de um soldado, que enfrenta a fome e a necessidade de abandonar seu lar. Assim como a protagonista, milhares de crianças precisaram deixar a família em Londres na esperança de escapar dos horrores dos bombardeios. Vencedor do Newbery Honor Award, primeiro lugar na lista do New York Times e adotado em diversas escolas nos Estados Unidos.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

|Resenha| Em Águas Sombrias - Paula Hawkins

19:59:00
Em Águas Sombrias de Paula Hawkins

Olá, tudo beleza por ai?

A resenha de hoje, é do livro Em Águas Sombrias da autora Paula Hawkins, recebido de cortesia do Grupo Editorial Record. Um suspense de 364 páginas, que me deixou sem fôlego e me transportou a um universo cheio de laços de nós prontos para serem desatados.

Muitos dos argumentos usados para avaliar o lançamento da Paula Hawkins, foi a diferença entre a escrita do seu primeiro livro A Garota no Trem. Porém, não se preocupe, essa foi a minha primeira experiência com a autora e nesta resenha, vocês não leram esse julgamento.

Quando procurei saber mais informações sobre Em Águas Sombrias, encontrei várias criticas sobre a obra, porém sou do tipo que gosta de provar para saber o real sabor. Fiquei desejando muito o livro, e de surpresa, o Grupo Editorial Record me enviou <3 Fiquei morrendo de felicidade e corri para começar a leitura. 

Em Águas Sombrias de Paula Hawkins


Toda a trama se passa na cidade de Beckford, interior da Inglaterra, tendo como foco principal o rio que cruza o município. Desde muito tempo atrás, mulheres encontravam no rio o fim das suas dores. 

Nel sempre foi fascinada pelo rio, em especial o Poço dos Afogamentos. O lugar tem um histórico lúgubre de mortes. Há muito tempo, mulheres acusadas de praticar bruxarias eram empurradas do grande penhasco do rio, e sucessivas mortes foram acontecendo até o presente mostrado no livro. 

A moça escrevia um livro de memórias, que contava toda a história de vida dessas mulheres encrenqueiras e as possíveis formas de sua morte.  O rio representava para a moça, um local de alegrias e tristezas, aquela água foi palco de momentos importantes para a sua vida, assim como muitas vezes foi seu consolo.  Porém, Nel é encontrada morta no rio e as dúvidas surgem de todos os lados. 

Em Águas Sombrias de Paula Hawkins


Ninguém sabe o real sentido da morte da moça, se foi suicídio ou assassinato. 

Ela acordou no meio da noite, foi até o rio e nunca mais voltou.
Jules Abbott, irmã de Nel Abbott, recebe uma ligação de alguém querendo falar sobre sua irmã. Jules deixou de falar com Nel há muito tempo, ignorava todas as ligações e tentativas de contato da irmã, porém agora a ligação é mais dura. Nel está morta, e Jules precisa assumir a guarda de Lena Abbott, uma garota de 15 anos, fruto de um rápido relacionamento de Nel, a cópia fiel da mãe. 

Apesar do luto da situação, Jules está mais preocupada por voltar ao vilarejo onde ela prometeu que nunca mais voltaria, além de agora ter que consertar todos os erros que a irmã deixou. 

O vilarejo está mais sombrio do que nunca, e todos os moradores parecem carregar nas costas o pesar do rio. Jules sente-se muito mal neste lugar, mas agora precisa entender qual foi o verdadeiro fim da sua irmã. Ela narra, com ódio, toda a trajetória da infância das duas irmãs, e todos os fatores que levaram Jules a rejeitar que o mesmo sangue corria nas veias de Nel. 

Em Águas Sombrias de Paula Hawkins

Elevei o livro Em Águas Sombrias, ao melhor do ano. Esse livro mexeu comigo de uma forma extraordinária e conseguiu me entrelaçar com toda a complexidade da trama. 

Inicialmente, a leitura é um pouco cansativa e confuso, já que somos apresentados a muitos personagens, porém logo depois a história flui tão sombria e forte como a corrente do rio. 

Paula Hawkins conseguiu desenvolver um livro que aborda muito o efeito do machismo em uma sociedade inteira. Toda a história corre em águas contaminadas pelo sangue feminino, o sangue inocente e maculado.  Com certeza, o feminismo é o ponto forte da trama, e se torna gostoso ver todas as máscaras caindo, revelando passados obscuros e mãos manchadas com sangue mulheril. 

A autora carrega o leitor por todas as páginas para despejar o desfecho somente no último segundo, sem deixar nenhuma ponta solta. Além disso, a escrita é cheia de alternações entre passado e presente, primeira pessoa e terceira pessoa e personagens. 

A editora fez um ótimo trabalho gráfico, e preservar o modelo de capa americana foi uma ótima jogada. Essa capa está muito boa e reflete bem a obscuridade que envolve a trama. Não encontrei erros de revisão e a diagramação está ok. 
O rio pode voltar ao passado, trazer coisas à tona e cuspi-las na margem diante dos olhos de todos, mas as pessoas não podem.

Em Águas Sombrias de Paula Hawkins
Livro: Em Águas Sombrias
Autor(a): Paula Hawkins
Editora: Record
Páginas: 362
Compre: Saraiva | Submarino

Sinopse: Nos dias que antecederam sua morte, Nel ligou para a irmã. Jules não atendeu o telefone e simplesmente ignorou seu apelo por ajuda. Agora Nel está morta. Dizem que ela se suicidou. E Jules foi obrigada a voltar ao único lugar do qual achou que havia escapado para sempre para cuidar da filha adolescente que a irmã deixou para trás. Mas Jules está com medo. Com um medo visceral. De seu passado há muito enterrado, da velha Casa do Moinho, de saber que Nel jamais teria se jogado para a morte. E, acima de tudo, ela está com medo do rio, e do trecho que todos chamam de Poço dos Afogamentos… Com a mesma escrita frenética e a mesma noção precisa dos instintos humanos que cativaram milhões de leitores ao redor do mundo em seu explosivo livro de estreia, A garota no trem, Paula Hawkins nos presenteia com uma leitura vigorosa e que supera quaisquer expectativas, partindo das histórias que contamos sobre nosso passado e do poder que elas têm de destruir a vida que levamos no presente.
 Fiquei muito satisfeito com a leitura, e espero muito uma adaptação cinematográfica do livro. 
E vocês, o que acharam da trama? Me conta nos comentários, até mais! 

sábado, 17 de junho de 2017

|Resenha| A Fada Madrinha - Kate Willians

01:48:00
A Fada Madrinha de Kate Willians

Olá, tudo beleza por ai? 

Uma única fada, é capaz de fazer um final feliz? Uma princesa é capaz de desfazer um casamento arranjado?

Hoje, a discussão é sobre o livro A Fada Madrinha, escrito pela Kate Willians e publicado em 2015, pela editora Arwen. Quero confessar que esperava um clichê, mas esta obra me pegou de surpresa, e seu você está procurando um livro leve, para intercalar com aquelas leituras pesadas, está no lugar certo!

Esta fantasia vai inicialmente nos contar duas histórias distintas, que se cruzam em um futuro próximo.
No mundo feérico, Fairyland, está Emily, um fada charmosinha, atrapalhada e um pouco antipática, e cá, no mundo Humano está a princesa Catarina, linda, recatada e do lar #SQÑ, a princesa é totalmente desligada dos costumes tradicionais da família real, e está lutando contra o seu casamento arranjado com príncipe Harry. O príncipe odeia a vida rodeada de paparazzi e sente-se preso, e não pode ser quem realmente é, e ele, claro, também é contra o casamento.

Assim como todas as outras fadas, Emily anseia pelo dia que será responsável pela realização de um desejo, e certo dia, o gnomo Hector prega na Árvore dos Desejos, o sonho da princesa Nora, irmã de Catarina, e todas as fadas desejam a chance, porém Emily aceitara uma proposta absurda de Hector, para receber o pedido, e assim ela, ansiosa, aceita. Hector disse que só daria a vaga, se a fada anunciasse para todos que eles estavam namorando, e movida pela ansiedade e ambição, Emily aceita e despedaça o coração do elfo cozinheiro Willian, que é apaixonado pela fada. O cozinheiro fica extramente chateado com a decisão de Emily, e ela acaba partindo para sua missão sem se despedir do elfo.

“- Mesmo que eu conseguisse uma chance William, não existem muitos príncipes e princesas por ai e o meu sonho mesmo,é ser a responsável pelo felizes para sempre de um conto de fadas. Como naquele trocentos livros que leio e mantenho guardado no meu guarda-roupas”.

Ao chegar ao palácio de Dumbrok, a fada encontra uma família desequilibrada, porém com uma fagulha de esperança na sonhadora Nora, depois de alguns papos e sustos, Emily descobre que o grande sonho de Nora, é que sua irmã Catarina tenha um Felizes para sempre com o príncipe Harry. Suas esperanças de missão cumprida, vão pro fundo do poço, quando ela descobre que nenhum dos noivos, quer dizer sim. Depois de tentativas frustadas de conciliação, a fada quebra todas as regras de Fairyland, ao decidir juntar-se a Catarina para acabar com o casamento. Neste momento, a missão da vida de Emily, torna-se um pesadelo confuso e desastroso.

Em Fairyland, Willian está sofrendo com o rastro que Emily deixou, e Anna, a irmã mais velha que sempre foi melhor que Emily em tudo, aproveita para jogar todo o seu charme para o elfo, e desfrutar da situação.

Mesmo depois de várias tentativas, a ideia do casamento não acaba, e Emily é obrigada a usar sua magia para conceder o desejo, porém sua magia se esgota e é necessário que ela volte a Fairyland, chegando lá, Emily descobre as tentativas de Anna, de acabar com sua amizade com Willian e a usurpadora acaba danificando um bem precioso para a vida das fadas. O portal de Fairyland é desligado por Anna, e com isso, todos os seres ficam expostos aos humanos. O Parque Magic Kingdom, onde ficava localizado o reino Fairyland, vira um centro de curiosidade á respeito da vida feérica e será necessário a ajuda de Catarina e Harry para restaurar a ordem e a paz no mundo das fadas, porém muitas surpresas nos aguardam no trajeto deles.

“A cortina mágica havia sido destruída. Todos os humanos presentes naquela área do parque, olhavam assustados, com os olhos arregalados e expressões horrorizadas para os pequenos seres humanoides com asas, que os olhavam de volta. Pronto. Agora sim estavam perdidos. Aquele de fato era, o apocalipse das fadas.”

Como já disse, a Kate me surpreendeu… Peguei esse livro achando que seria uma cópia de Tinker Bell, porém a autora conseguiu fazer um jogo de emoções com os personagens, e aos poucos nós vamos conseguindo identificar o que cada um guarda em seu coração. A leitura é bem fácil, com palavras simples e diálogo informal, durante a leitura viajamos entre mares, vulcões e ares, todos com excelente descrição e direcionamento. A leitura foi feita bem rapidamente, já que a escrita da autora é bem fluida, e a qualidade de revisão está excelente.

A leitura foi feita em ebook, porém e destacável a diagramação, muito bem produzida pela equipe editorial e a capa está fabulosa em cada detalhe.
O livro é juvenil, por ser divertido e leve, mas passa mensagem de amor e companheirismo, e aceitação do próximo como ele é, que é válido para todos os públicos! Portanto, se está procurando algo simples, porém reflexivo, foi tiro certeiro! E você, já leu ou conhecia a obra? Conte nos comentários!

Título: A Fada Madrinha 
Autor: Kate Willians 
Genero: Romance/Fantasia 
Páginas: 248 
Editora: Arwen
*Ebook cedido em parceria com a autora.
Sinopse: Uma princesa mal humorada. Um príncipe nada encantado e uma fada para lá de atrapalhada. Isso vai terminar em casamento ou em uma grande confusão? O sonho da fada Emily sempre foi ser responsável por um “Felizes para Sempre” e ela está disposta a tudo para realizar seu sonho. A princesa Cate nunca quis o seu “Felizes para Sempre”, mas não está nada conformada com seu destino. Harry não está nem aí para o “Felizes para Sempre”, só quer se livrar da chata da Cate. Quando todos precisam trabalhar juntos para restaurar a ordem no mundo das fadas, o que era importante torna-se insignificante e grandes verdades são reveladas. Tudo com muito humor e diversão.
*Resenha publicada inicialmente no blog O Gabriel Lucas, onde sou resenhista. 

terça-feira, 13 de junho de 2017

|RECEBIDOS| Abril e Maio 2017

14:17:00
Recebidos Abril e Maio 2017

Olá, tudo beleza por ai?

Velho, é verdade que a faculdade está me transformando em um zumbi, ou sei lá que em que estágio da vida eu estou. Apenas sei que não tenho tempo para mais nada, preciso passar logo dessa fase de adaptação. 

Hoje, bem atrasadinho, trouxe todos os recebidos dos meses de Abril e Maio, e olha, veio muita coisa linda e legal! 😍💙

Recebidos - Grupo Editorial Record





Recebido - Editora Gutenberg



Recebidos Editora Alaúde



Recebidos - Blog O Gabriel Lucas



Recebidos Alma Cervantes e Editora Inverso



Recebidos Editora UpBooks



Recebido Lucinei Campos



Recebido Débora Knitell & Érica Falcão



Recebido Janaína Rico & Jean Paul





Isso foi tudo que eu recebi nos últimos dois meses. Fiquei bastante feliz com o carinho dos autores e das editoras, já li vários dos livros, e alguns já tem resenha.

Você já leu algum dos livros? Me conta!

Até mais! 

sexta-feira, 2 de junho de 2017

[Resenha] O Sol Também É Uma Estrela - Nicola Yonn

20:11:00
Resenha O Sol Também é uma Estrela
Olá, tudo beleza por ai?

A resenha de hoje, é do livro O Sol Também É Uma Estrela, escrito pela Nicola Yonn, mesma autora de Tudo e Todas as Coisas, e publicado pela editora Arqueiro em março de 2017.


Natasha é uma garota jamaicana que está, assim como sua família, como imigrante ilegal nos Estados Unidos. A garota está sofrendo, pois sua família foi descoberta depois de um deslize do seu pai. Agora, eles receberam uma ordem de saída e estão prestes a ser deportados de volta á Jamaica.

Daniel é um garoto coreano, filho de imigrantes, que mora nos Estados Unidos. O menino tem um relacionamento muito ruim com seu pai e seu irmão, e vive como sua família sempre quis.
Natasha está vivendo o seu ultimo dia em Nova Iorque, e busca uma solução para o seu problema. Daniel está prestes a fazer uma entrevista de indicação para Yale, faculdade de medicina.  Por ironia do destino, os caminhos dos personagens se cruzam e eles precisam lutar para se afastar ou se entregar de vez ao amor que aflorou.
O resto do dia transforma-se em uma batalha de conquista amorosa e definição de futuros.

Resenha o sol também é uma estrela

Iniciei a leitura desse livro sem nem mesmo ler a sinopse, e logo me apeguei ao ritmo e estilo de escrita da Nicola Yonn.  O livro trata de rumos que irão ser tomados e futuros de adolescentes, que poderão afetar todas as suas estruturas.  Ao terminar a leitura de O Sol Também É Uma Estrela, senti a necessidade extravagante de abraçar a autora e agradece-la pela qualidade da história apresentada.

Deparamo-nos com as famílias desestruturadas e preconceitos que afetam de forma muito forte a vida dos jovens protagonistas. Já que, ambos são os pilares que seguram a família. A narrativa de O Sol Também É Uma Estrela, é extremamente emocionante e tocante, cheia de amor, cumplicidade e leveza. Envolvendo conflitos de razão e emoção, ciência e fé.

Resenha o sol também é uma estrela

Resenha o sol também é uma estrela








Natasha e Daniel são os protagonistas, mas somos apresentados a personagens secundários muito importantes para o enredo. A autora alternou os capítulos entre os personagens para que todos tivessem seus pontos de vista esclarecidos.
O enredo, fora os flashbacks e algumas pequenas cenas, se passa em apenas um dia, por isso a história é cheia de detalhamento, e a autora consegue fazer isso sem cansar o leitor.
A capa está maravilhosa e foi o que me atraiu para o livro. Li o ebook e não encontrei nenhum erro de revisão. A editora Arqueiro fez um excelente trabalho a obra.

O Sol Também É Uma Estrela, é uma obra cheia de brilho que indico para todos que curtem uma boa leitura. 

Titulo: O Sol Também É Uma Estrela
Autor: Nicola Yonn
Páginas: 288
Editora: Arqueiro
Ano: 2017

Sinopse: Natasha: Sou uma garota que acredita na ciência e nos fatos. Não acredito na sorte. Nem no destino. Muito menos em sonhos que nunca se tornarão realidade. Não sou o tipo de garota que se apaixona perdidamente por um garoto bonito que encontra numa rua movimentada de Nova York. Não quando minha família está a 12 horas de ser deportada para a Jamaica. Apaixonar-me por ele não pode ser a minha história. Daniel: Sou um bom filho e um bom aluno. Sempre estive à altura das grandes expectativas dos meus pais. Nunca me permiti ser o poeta. Nem o sonhador. Mas, quando a vi, esqueci de tudo isso. Há alguma coisa em Natasha que me faz pensar que o destino tem algo extraordinário reservado para nós dois. O Universo: Cada momento de nossas vidas nos trouxe a este instante único. Há um milhão de futuros diante de nós. Qual deles se tornará realidade?

FOLLOW @isaac.zedecc

Este blog observa a LEI DE DIREITOS AUTORAIS 9.610, DE 19/02/1998, DO GOVERNO FEDERAL BRASILEIRO. Por favor, não copie o conteúdo deste blog. Os direitos autorais dos textos contido neste blog são propriedade da EQUIPE DO LIVROS & RETICÊNCIAS. A reprodução, adaptação, modificação ou utilização do conteúdo disponibilizado neste blog, parcial ou integralmente, é PERMITIDA SOMENTE COM AUTORIZAÇÃO PRÉVIA por escrito dos titulares dos direitos autorais. Qualquer USO NÃO AUTORIZADO PODE CONSTITUIR UMA VIOLAÇÃO DAS LEIS DE DIREITOS AUTORAIS, das leis de privacidade e das leis das regras de comunicações.
Tecnologia do Blogger.

Postagens Recentes

recentposts

Talvez você goste:

randomposts