Páginas

Livros & Reticências: {Resenha} Fotografias da Vida - José Cicero do Nascimento

{Resenha} Fotografias da Vida - José Cicero do Nascimento











                                                                                    Oiii ! *--*

Vamos conhecer agora a Obra Fotografias da vida : A  vida de Maria Olívia Palimo e logo após conhecer o autor José Cícero do nascimento.

Maria Olívia sempre foi, desde criança, uma pessoa feliz, sonhadora e batalhadora, porém, nunca lhe passou pela cabeça que, durante seus dias na terra, seria posta diante de tantas provas.
Ao longo de seus vintes anos, foi submetida, pela própria vida, a diversas situações que, rotineiramente, leva muitas pessoas ao pânico, ao desespero, forçando-as a se desviarem de um caminho mais correto e saudável.
Ainda criança, vivenciou a morte na família. Conviveu e sofreu com a mudança de comportamento de sua mãe e acompanhou o envolvimento de seu irmão com o mundo do crime e das drogas.
Contrariando suas vontades, coexistiu com pessoas “barra pesada” e, quando lhe parecia que tudo de ruim já teria passado, o pior aconteceu. Qual seria o futuro reservado a essa menina que conheceu, com suas descobertas particulares, tantas amarguras?
Entretanto, quando tudo lhe pareceu perdido, surgiu, em seu caminho, alguém disposto em ajudá-la a superar tantos traumas. Seria Leia, sua amiga de infância e que sempre lhe demonstrou muito mais que amizade, ou Nick, aquele que nunca levou nada a sério?
Influenciada por vários tipos de pessoas, Maria Olívia teria de tomar uma decisão: Que caminho seguir? Ser a jornalista que sempre sonhou, ou deixar se levar a um mundo arriscado e sem futuro promissor?
Categorias: Amizade, Adolescência, Abuso, Jovens e Adolescentes, Ficção e Romance, Família E Relacionamentos


José Cícero do Nascimento (Pseudônimo: Ariano Paraná) Nasceu em 15 de abril de 1965, no município de Sertaneja/PR. Sua vida não foi fácil. Nasceu e cresceu nas fazendas de café na região de Londrina - Paraná. Não teve muito tempo para ir à escola, começou a trabalhar cedo, todavia, tal fato não o impediu de ler e estudar muito em sua casa. Podemos dizer que o moço é um autodidata. Além disso, ainda jovem tomou gosto pela escrita e pela música, tal fato o obrigou a sempre estar com papel, caneta e violão nas mãos e debruçado sobre os livros. Com isso, conseguiu em pouco tempo a compor e escrever sobre tudo que via e ouvia. Sua casa é uma verdadeira biblioteca e museu.
Seus trabalhos permaneceram engavetados até há pouco tempo, quando decidiu, por incentivo de amigos e parentes a levá-los para a internet e consequentemente a mostrá-los ao publico.
Dizem que para aprender não existe tempo nem idade. Seguindo tal raciocínio, depois dos trinta, José Cícero do Nascimento, decidiu a ir para a escola para se atualizar e aprimorar seus conhecimentos. O tempo foi bem aproveitado. Além dos cursos regulares, fez também diversos cursos profissionalizantes. Trabalhou por vinte anos na mesma empresa. Hoje, está aposentado e está aproveitando esse tempo para passar a limpo todos os rascunhos escritos e vividos.



Conte-nos um pouco sobre você...E sobre sua obra...
                               Já foi mostrado acima ^^



Quando surgiu seu gosto por escrever?

Além do que foi dito, José Cícero do Nascimento, ainda jovem, tomou gosto pela escrita e pela música, tal fato o obrigou a sempre estar com papel, caneta e violão nas mãos e debruçado sobre os livros. Com isso, conseguiu em pouco tempo a compor e escrever sobre tudo que via e ouvia. Sua casa é uma verdadeira biblioteca e museu.

Qual foi a inspiração ao escrever esta obra?

Reunido com a família no dia das mães do ano de 2012, nosso passa tempo principal, além do churrasco e das músicas de viola que ouvíamos, era rever as fotografias de família; as mesmas que já haviam sido admiradas por dezenas e dezenas de vezes. Durante a confraternização, com centenas de fotos espalhadas, percebi que cada foto trazia uma historia e aquele que a segurava relembrava com grande empolgação o lugar, a hora e as pessoas envolvidas, tanto as que apareciam na foto, quanto as que não apareciam, mas, que estavam presente naquele dia.   Foi durante aquela confraternização do dia das mães que nasceu a ideia de escrever o livro FOTOGRAFIAS DA VIDA. Porém, eu não queria escrever sobre minha família, então, fui para as pesquisas em jornais, internet e revistas e foi daí que colhi os tópicos para montar o enredo e as tramas contidas nele. 



Como você mais gosta de escrever? (horário, musica, café).

Gosto de escrever a noite. É quando me concentro melhor. Mas, durante o dia vou fazendo anotações e pesquisas. 



O que você faz quando não esta escrevendo?

Além de compor, adoro curtir a família e passear ao ar livre, de preferência a pé. Tenho como hobby restaurar carros antigos. É outra paixão que tenho.



Porque escolheu este gênero para escrever?

Como a historia é dirigida aos jovens, acredito que esse gênero seja mais fácil para chamar a atenção deles. Porém, tenho outros livros, que serão lançados num futuro próximo que são verdadeiros suspenses acompanhados de muita ação e aventuras.



 Autores Específicos te inspiraram?

William Shakespeare, Mario Quintana, Machado de Assis, Francis Bacon, Victor Hugo, Stephenie Meyer... Entre outros.



Vamos a uma brincadeira rápida agora, você devera responder com um trecho do livro... (Se não tiver trecho correspondente, sinalize...)



Emoção

“Após aqueles incertos e aflitivos minutos, chegamos a nossa casa. Ao ver meus avós, meu tio e mamãe em choros e lamúrias, tive a certeza de que o infortúnio havia abatido sobre nossa família. Só não conseguia atinar o que seria...”.

Sonho

“Influenciada por vários tipos de pessoas eu tinha de tomar uma decisão: Que caminho seguir? Ser a jornalista que sempre sonhei, ou deixar me levar para um mundo arriscado e sem futuro promissor?”

Tristeza
“Outro fato que aconteceu e que me deixou um pouco triste foi a transferência de Moleque para a chácara. Eu não queria que ele fosse, mas, devido às circunstâncias, não tive escolha.”

Alegria

“Foi assim trajada que subi na garupa de sua Hornet. Naquele momento, eu representava uma verdadeira teen do ano de 2012. A alegria imensa contida em mim transbordava.”

Paixão

“Não sabia direito o que era paixão, mas acreditava que estava apaixonada por ela. Estranho! Meu alento estava em saber que com ela não era diferente...”.

Medo

“O que mais me assombrava era o seu olhar. Lembrava-me dos olhares dos vampiros de Bram Stoker. Minha boca secou - e minhas mãos suavam. Por estar em meu quarto e sentindo-me à vontade, vestia um topezinho e um minúsculo e apertado short. Logicamente, um chamariz para qualquer predador sexual. Eu estava apavorada.”

Sensualidade

“Modéstia a parte, até hoje sou linda e chamo muita atenção por onde passo. Tem sido sempre assim. Não podia ser diferente, sendo como sou; uma morena de pele clara, rosto fino e bem delineado, um metro e setenta de altura, cabelos negros e escorrendo até a altura da cintura. (...)”.

Divindade

“Não tenho uma religião definida, acredito que a minha seja unicamente Deus. Não frequento igrejas por discordar de padres e pastores.”

Musica

“- Que lindo, meu amor”! É criação sua? - Perguntei enquanto o beijava.

- Não. - Depois de rir um pouco, comentou - Não é criação minha, mas combina com tudo que queria lhe dizer. - Em seguida revelou - Esta é a tradução de uma música antiga de um grupo mais antigo ainda, conhecido como The Plantters, e a música é, em inglês, Only You. - “Rimos e nos beijamos.”.

Literatura (trecho que mostre paixão do personagem por ler)

“Ainda estou a estudar o máximo que meu cérebro permite. Além do mais, gosto de estar continuamente atualizada.”

O Que você diria para uma pessoa que esta começando a escrever um livro? 

Não desista e seja o mais original possível. Leia muito e pesquise bastante. faça perguntas. Jamais escreva sobre algo que não conheça. Afinal, escrever um livro é como fazer um bolo. Primeiro se tem a ideia de fazê-lo, depois, se junta os ingredientes e em seguida e só monta-lo. Logo, o desejo do confeiteiro, assim como do escritor é o de mostrá-lo para todo mundo. Não se empolgue demais e vai de vagar.



+3 - Historia
-2 - Capa e Diagramação

  O livro Fotografias da vida do autor parceiro conta com paginas e capítulos que contem a historia de vida de Maria Olívia Palimo, uma moça decidida, apreensiva que passou por momentos difíceis e outros agradáveis durante toda a sua vida. Através de fotos ela mostra como teve uma vida árdua e como sempre foi guerreira e lutadora.
A obra denuncia momentos e coisas que passamos no nosso cotidiano com o envolvimento com a criminalidade, a amizade e amor verdadeiro, não só de amigos ou namorados mas, amor também de sua família, passa por momentos de lesbianismo, de forma bem leve, apenas com beijo entre amigas originando um certo prazer com os dedos entre as duas.



 O livro aborda muito a mudança drástica na vida e nas ações pessoais, ao abrir este livro as portas do real foram abertas pra mim, viajei na minha vida de forma a pensar em cada momento e comparar com a vida da Maria Olívia.Traz de forma singela e delicada como um momento difícil pode influenciar em todos outros momentos bons. Como a pessoa pode ser sonhadora mas ter o pé no chão e saber viver com aquilo que tem e desfrutar o máximo de tal coisa.





        ~~~~~~~~~~~~~~ Edição ~~~~~~~~~~~~~~
 Me preparei muito para falar sobre a capa e diagramação do livro, não quero ofender, mas eu simplesmente odiei esta capa, a contra capa e a forma de sucessão de capítulos, eles deveriam ser bem mais elaborado. Falo isso para o bem do autor e da obra, algumas pessoas podem não ter tido simpatia com o livro por causa da capa, pois assim como eu, julga um livro pela capa.Recebi varias criticas por está lendo este livro, mas como nela já diz :

"Ao receber criticas de pessoas que não me conhecem, como um todo eu os ignoro."

Então, pela historia eu super recomendo o livro, uma historia de vida passada por drama, romance e vários outros gêneros e sentimentos.
Mais informações ------> http://letrasepalavras.wix.com/letrasepalavras

Espero que tenham gostado da resenha. Beijos e Boa Noite ! ^^





10 comentários:

  1. Já tive o prazer de ler a obra e recomendo.

    Gunther Schmidt de Miranda

    ResponderExcluir
  2. É, a capinha dele realmente merecia um redesenho. Quando conhecemos alguém, é o exterior que nos chama atenção. Depois, claro, ele vai deixando de ser importante e o interior vai reformulando nossa idéia sobre a pessoa.
    Assim, acaba que a capa importa muito pra chamar atenção pro livro. E, pela sua descrição da história, ele merecia uma mais bem trabalhada.
    Histórias de luta e de superação sempre tocam, porque as lutas são comuns a todos, mesmo que de forma diferente.

    Abraço,

    www.annarios.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oie,

    Pela capa acho que não leria, poderia ser mais trabalhada, gostei dos quotes e da etntrevista, a historia parece que envolve o leitor, gostei bastante, mas acho que não leria.

    Mayla
    http://meulivromeutudo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu jamais escolheria um livro pela capa, a sinopse me chamaria mais a atenção. Mas, respeito sua opinião.

      Excluir
    2. Eu jamais escolheria um livro pela capa, a sinopse me chamaria mais a atenção. Mas, respeito sua opinião.

      Excluir
  4. Oie,
    não conhecia o autor nem o livro, mas gostei bastante.
    Gostei tb da entrevista, ele tem uma história bem legal :D

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário! :)

Deixe seu link, quero ver o seu blog!
Abraços *-*